domingo, 22 de agosto de 2010

Remexendo....

Rasga e deita fora.
Esvazia.
.... estou, a criar espaço para o Ser.

Entre tantos papéis, um cartão impresso.
Vai ficar aqui, pregado com um alfinete na cortina, até que....

“Si pudiera vivir nuevamente mi vida.
En la próxima trataría de cometer más errores.
No intentaría ser tan perfecto, me relajaría más.
Sería más tonto de lo que he sido, de hecho tomaría muy pocas cosas con seriedad.
Sería menos higiénico.
Correría más riesgos, haría más viajes, contemplaría más entardeceres, subiría más montañas, nadaría más ríos.
Iría a más lugares adonde nunca he ido, comeríamás helados y menos habas, tendría más problemas reales y menos imaginarios.
Yo fuí una de esas personas que vivió sensata y prolíficamente cada minuto de su vida; claro que tuve momentos de alegría.
Pero si pudiera volver atrás trataría de tener solamente buenos momentos. Por si no lo saben, de eso está hecha la vida, sólo de momentos; no te pierdas el ahora.
Yo era uno de esos que nunca iban a ninguna parte sin un termómetro, una bolsa de agua caliente, un paraguas y un paracaídas; si pudiera volver a vivir, viajaría más liviano.
Si pudiera volver a vivir comenzaría a andar descalzo a principios de la primavera y seguiría así hasta concluir el otoño.
Daría más vueltas en calesita, contemplaría más amaneceres y jugaría con más niños, si tuviera otra vez la vida por delante.
Pero ya ven, tengo 85 años y sé que me estoy muriendo.”
(Jorge Luis Borges)

36 comentários:

  1. Que lindo texto do grande Jorge Luís Borges...
    Abençoadas arrumações, que o trouxeram a lume.
    Abracinho

    ResponderEliminar
  2. Ainda tens muito tempo, amiga, para fazeres todas as asneiras saborosas da vida:))))
    Começa já!
    Um abracinho de tirar fôlego

    ResponderEliminar
  3. Se está na hora de asneirar não vás sózinha espera por mim...

    ps:continua a guardar o cartão é lindo.

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. 85 anos? ena tantos... lol

    "gulodice" eterna, a dos poetas!

    beijos

    ResponderEliminar
  5. Jorge Luis Borges é um dos meus escritores preferidos.
    Como não há outra vida (penso eu...), todos os "ses" podem ser ditos... alguns deles se calhar também eu os diria...
    Beijos, querida amiga.

    ResponderEliminar
  6. Escrever com Jorge Luis Borges (JLB)é de um dom que se trata.
    Uma vez percebido foi acarinhado e tratado sem olhar a meios em busca da perfeição.

    2
    Tanto quanto li, JLB terá perdido a visão gradualmente, cegando aos 55 anos.
    Tamanho sofrimento e privação tê-lo-á angustiado.
    Como é que um homem da sua condição, responsável pela Biblioteca de Buenos Aires terá encarado a privação do acesso à leitura?

    Por mais dedicadas que sejam as companhias que lhe garantiram a leitura de textos por ele escolhidos, uma coisa é a audição de um texto, outra, a leitura que nós faremos.

    No «Ensaio Sobre a Cegueira» Saramago escreve:
    «Cegar é viver num mundo sem esperança(...)»

    Aparentemente, terá ultrapassado o obstáculo tal foi a produção e o mérito da Obra que completou.

    3
    O textoi que editas de JLB está irrepreensívelmente escrito.
    Brincando com a possibilidade de uma «Second life» JLB faz sabiamente uma escolha radicalmente oposta à vivida.
    Pudera!
    Nunca se deve repetir o que tanta felicidade nos proporcionou.
    (Ou voltar aonde fomos felizes...)

    Em
    «O Elofgio da Sombra» 1969;
    «O Fazedor» 1969;
    «A Cegueira» 1977

    Jorge Luis Borge aborda o tema da cegueira.

    (Rodapé: respondendo ao comentário deixado no Guizo: A etiqueta das edições de Agosto é «Pré época»
    Voltei ainda com o pé fora.
    O objectivo é entrar em Setembro em velocidade cruzeiro. Veremos se serei capaz.)
    (Comentário breve, não foi?...Rsrs)

    Fica bem.

    ResponderEliminar
  7. um bom exercício - rasga e deita fora

    por enquanto, retomei a dança e o canto, em breve... lá terá que ser !!

    ResponderEliminar
  8. as sábias palavras de jorge luis borges são, sempre, palavras a reter.

    que se te avizinhem uns bons (e quentes, conforme previsões meteorológicas) dias, com asneiras tantas quantas te apeteçam. :)

    marradinhas afectuosas da bicharada do "pequeno jardim" e um abraço da Humana.

    ResponderEliminar
  9. eu, tanta asneira e tanto disparate tenho feito e dito que, juro, pudera eu viver novamente a minha vida, faria tudo muito certinho. claro que isto é muito fácil de dizer pois sei muito bem que nunca tornarei a vivê-la.

    pois, está bem, já sei, sou burro.

    ResponderEliminar
  10. Diálogo impossível no "outro mundo":

    - Olá Borges! há tanto tempo que não te punha a vista em cima... O que tens feito?
    - Sempre com a carinha na água, Legível, que te reconheço pela voz. Ora, o que se pode fazer aqui em cima e aos lados? ir vogando de nuvem para nuvem e estar atento todos os anos ao Prémio Nobel... que aqueles merdas nunca se lembraram de me atribuir...
    - Olha que lá em baixo um dos teus pares - aquele que escreve que "os cavalos fazem sombra ao mar" também se queixa do mesmo... A propósito, já viste o Saramago?
    - Brincalhão... um dia destes numa manif sobre a falta de condições atmosféricas e sociais cá por cima e aos lados, passou-me ao rente um gajo que ia jurar, de punho erguido. Pensei ser ele mas a minha mãe Leonor esclareceu-me tratar-se do Álvaro.
    - E tens lido? e se pudesses voltar lá abaixo, o que farias?
    - Qual quê! Tanto a minha mãe Leonor como a Maria Kodama já não me aturam nesse pormenor. Andam numa roda viva a receber os literatos que chegam lá de baixo e a mostrar-lhes os cantos à casa. Uma delas é que já deve ter visto o Zé. Se pudesse voltar atrás, decerto que andava nas redes sociais, tinha um blogue e uma garina jeitosa que me guiava nessas andanças. Ah, e fazia muitos comentários no "trivialidades e croquetes" que a mulher é danada para a brincadeira...
    - Gostei de conversar contigo, Jorge, Até mais ver.

    Abraços e risos.

    ResponderEliminar
  11. O mesmo me passa a mim. Começo cheio de coragem e acabo por não desfazer-me de nada... mesmo daquelas coisas que há anos que não utilizo. Para compensar considero-me conservador, de coisas que fazem parte da minha vida.
    Borges! Imenso.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  12. Olá Maria Teresa,

    ... e como eu gosto de arrumações!
    Gosto muito de deitar fora.
    ... e gosto de redescobrir e voltar a guardar.
    Para si um beijinho, na minha volta que espero arrumada (rs)

    ResponderEliminar
  13. Há,

    E este não foi para o papelão.
    Agora é lido e relido, até que...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Justine,

    Que achas de andar descalça até ao Outono? Parece-me um "asneira" bem agradável...rs

    Abraço, tão apertadinho, tão apertadinho

    ResponderEliminar
  15. Ai Lilá(s) asneirar acompanhada pode dar, por exemplo...
    Num desatino de choco frito!!!
    (só de lembrar, salivo...)

    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Carlos,

    Um texto que nos faz parar e pensar. E que eu leio atenta.

    Abraço

    ResponderEliminar
  17. Heretico,

    Acredito que a idade dá saber.
    E se 85 anos são muito na idade...

    Um beijo

    ResponderEliminar
  18. Nilson,

    E eu bem me esforço... mas não é que não consigo crer, assim numa de mesmo convencida, que haja outra vida ou afim!?
    E gostava de crer...

    Beijo, grande

    ResponderEliminar
  19. JPD,

    Será que a ideia do texto é não repetir o que tanta felicidade nos causou?
    Ou estou eu "lerdinha" a ler o teu comentário...

    Abraço

    ResponderEliminar
  20. Segura,

    Dança e canto, que boa escolha.
    Também quero! Já tens par? (rs)

    ResponderEliminar
  21. Idun,

    E este calor, a convidar às asneiras de molengar, preguiçar, vegetar... e embirrar!

    Abraço à Humana e festinhas à bicharada

    ResponderEliminar
  22. B,

    Fez o caminho ao contrário, ora não?
    Mas querendo dê a volta, nada de ser B, aprecie o lado de lá.

    ResponderEliminar
  23. ... sei que não é fácil recomentar um comentário sobre a "vida lá por cima e aos lados". Pois se eu para escrever o comentário tive que treinar com os que estão "cá em baixo e em vias de partir lá para cima"...
    Eu sei. Que um dia ainda serei castigado. Mas quem é que não tem o seu Calvário? e Alcântara e toda aquela linha até chegar ao Dafundo?

    Tem uma santa tarde com muitos risos.

    ResponderEliminar
  24. Legível de Oliveira Alberto, que te dizer aí para baixo?
    Deliciei-me a ouvir-te a conversar com o Jorge Luís.
    Ó porra (que eu nem sou de dizer estas coisas, mas é para reforçar o sentimento) tu deslumbras na escrita, home!!!

    PS- Interessante aquele papel de leva e traz que uma tal de Leonor fazia lá em cima e dos lados.

    Abraços a escangalhar os sorrisos

    ResponderEliminar
  25. Legível da minh'alma, acabei de comentar agora, ó!..ó...ó!!!

    Asap, ajustamos.
    Que os cavalos esperam a fazer a tal de sombra.

    Prontos, agora é que isto de recomentar está embrulhado.

    Tarde abençoada de luz

    ResponderEliminar
  26. Duarte,

    Há coisas de que nunca me hei-de desfazer, alguém o há-de um dia fazer por mim.
    E como já referi, gosto de deitar fora o que de uma qualquer forma atafulha. E tenho facilidade em fazê-lo.
    Contraditório? Penso que não.

    Um abraço...imenso

    ResponderEliminar
  27. Ó minha menina, tinha escarrapachado aqui uma coisa tão comprida, que me custou tanto a escrever e carreguei não sei onde que isto tudo saltou e desapareceu. Agora já não há pachorra para escrever outra vez.


    Ernesto, o avô

    ResponderEliminar
  28. Ó avó, "carregar e tudo saltar e desaparecer" é assim a modos que interessante... é um plufff... um boom... que o deixou a si no final sem pachorra e a mim me retirou o privilégio do tal de texto (coisa comprida)

    Beijinho repenicado, da que não pode ser sua neta

    ResponderEliminar
  29. Olá, zogia minha!
    Como creio na reencarnação...

    Beijinhos com saudades.

    ResponderEliminar
  30. Fazer o certo ou o errado, coisa difícil... isto da Vida não trazer Manual de Instruções é tramado porque, de vez em quando, rebentamos com uns circuitos.
    Por outro lado até é bom, eu quando compro qualquer coisa, só obrigada leio as Instruções... são tão chatas lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  31. Querida amiga, tem um óptimo fim de semana.
    Beijo, grande.

    ResponderEliminar
  32. Olá São,

    Eu devo ser uma reencarnação recente, zogia minha... ando ainda às apalpadelas nesta vida.

    Abraço e beijos para acabar com as saudades

    ResponderEliminar
  33. A Isa de volta, que bom!!!

    O manual de instruções também não ia resolver porque a tradução ia ser péssima e a nossa interpretação lixava tudo...rsrs

    Deixar o coração e a vida seguir o caminho... (enquanto o nosso diabinho teimoso e de nariz empinado não azucrinar)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. Nilson, querido amigo

    Muito obrigado.
    Um óptimo domingo para ti.

    Beijo, tão grande

    ResponderEliminar